domingo, 16 de outubro de 2011

Once Upon a Time...

 ...
 
 ... Pensando em uma história, que poderia ser narrada mais ou menos assim:
"Era uma vez uma menina que queria tanto encontrar seu Final Feliz..."
mas acabou dando tudo errado... 
 
Ainda bem, este era o Final Feliz... =)
 
Soundtrack: Enya - Only time
 Porque é sempre dele a palavra final...

segunda-feira, 16 de maio de 2011

E assim vou sendo...



Porque a gente é o que escolhe ser...

Sou o que penso e sinto, o que amo e acredito...
Sou praia e água de côco; Sou neve e chocolate quente; Sou o gelado do vento sul nos dias de céu bem azulzinho; Sou pôr do sol rosa e laranja e lua cheia que deixa a noite quase dia; Sou dia de gala, com céu de Brigadeiro e mar de Almirante; Sou música; Sou samba, suor e cerveja; Sou rock e samba rock... não sou rave, não adianta; Sou Beira Mar e fones de ouvido; Sou teimosia e curiosidade; Sou gente... de conteúdo, essência e caráter; Sou horas no telefone com quem mora longe; Sou um montão de relógios e ainda assim sou atraso; Sou Margarita frozen; Sou Fisioterapia e Pediatria; Sou superação; Sou esmalte vermelho e rabo de cavalo, sou tatuagem; Sou nada de maquiagem dia dia, e olhos pretos à noite; Sou proteção de São Jorge Guerreiro; Sou controle da situação, e borboletas no estômago controlando a situação; Sou gargalhada pelas coisas mais tolas... e choro também; Sou Floripa e Sun Valley de coração; Sou riso de criança, cheirinho e dobrinhas de bebê; Sou bobagens e verdades; Sou Avai e São Paulo também, estádio lotado e xingamento ao Seu Juíz; Sou inglês e espanhol; Sou livros e livros; Sou o que leio... e o que escrevo; Sou fé em Deus e pé na estrada; Sou arte; Sou tulipas; Sou meu ponto de vista, doa a quem doer, e se não gostar... Paciência; Sou teatro e cinema; Sou intuição; Sou intensidade e arrepio; Sou olhar que expressa e sorriso pianinho; Sou falar sem parar e, ás vezes, nunca chegar a falar... Sou criatividade e imaginação, Sou dúvidas e certezas demais... e conclusões de menos; Sou memória; Sou saudade apertada, que chega a tirar o ar; Sou idéias malucas; Sou Amor; Sou cama de casal, ar condicionado e edredon quentinho; Sou pista; Sou sushi e burritos; Sou marzipan, sorvete, chocolate branco e peanut butter, Sou conversas e mais conversas; Sou comédia, drama e romance água com açúcar; Sou John Corbett e Bono Vox; Sou seriados americanos, daqueles bem enlatados; Sou Livre Arbítrio, Lei do Retorno e evolução sempre; Sou o Amor dos meus pais, a ternura dos meus sobrinhos, o aconchego da minha família e a confiança nos verdadeiros amigos; O que passou, já não sou mais... Sou escorpião ascendente em gêmeos ; Sou 8 ou 80, e acho que nunca serei o 44... Sou o aprendizado que as decepções trouxeram, as frustrações pelo que não deu certo e alegria por tudo que deu; Sou osso duro e coração mole...
Sou o que Sou... o que penso e sinto, o que amo e acredito...
E assim vou sendo...

sábado, 23 de abril de 2011

Salve Salve!!!


"Eu andarei vestido e armado, com as armas de São Jorge. 
Para que meus inimigos tendo pés não me alcancem;
Tendo mãos não me peguem;
Tendo olhos não me exerguem;
E nem em pensamentos eles possam me fazer mal..."

Porque hoje é o dia dele, e eu como boa filha e devota, aproveito a data para prestar minha homenagem ao meu Santo Guerreiro, que tanto me inspira, guia, protege e  socorre.
(Ai de mim sem ele, na hora das roubadas...)

São Jorge nasceu na Capadócia no ano de 280. 
No final do século III, o cristão Jorge trocou a Capadócia, na Turquia, pela Palestina, vindo a ingressar no exército romano de Diocleciano. 
Jorge logo se destacou, sendo elevado a conde e depois a tribuno militar. 
Tudo ia bem, até que as perseguições aos seguidores de Cristo reiniciaram.
O imperador tinha planos de matar todos os cristãos e no dia marcado para o senado confirmar o decreto imperial, Jorge levantou-se no meio da reunião declarando-se espantado com aquela decisão, e afirmou que os romanos deviam se converter ao cristianismo.
Todos ficaram atônitos ao ouvirem estas palavras de um membro da suprema corte romana, defendendo com grande ousadia a fé em Jesus Cristo. Indagado por um cônsul sobre a origem dessa ousadia, Jorge prontamente respondeu-lhe que era por causa da Verdade. 
O tal cônsul, não satisfeito, quis saber:  
- O que é a Verdade?
 Jorge respondeu-lhe: 
- A Verdade é meu Senhor Jesus Cristo,  a quem vós perseguis, e eu sou servo de meu redentor, e Nele confiando me pus no meio de vós para dar testemunho da Verdade.
Jorge não quis negar sua fé, fazendo com que Diocleciano se sentisse traído. 
O imperador, então, condenou-o às mais terríveis torturas, e Jorge consegiu vencer a todas elas. 
Impassível, uma dor atrás da outra, o filho da Capadócia suportou as lanças dos soldados; Permaneceu firme sob o peso de uma imensa pedra, obteve a cicatrização imediata das navalhadas que recebeu e resistiu ao calor de uma fornalha de cal. 
A cada vitória sobre as torturas, Jorge ia convertendo mais e mais soldados. 
O imperador, contrariado, chamou um mago para acabar com a força de Jorge. O santo tomou duas poções e, mesmo assim, manteve-se firme e vivo. 
O feiticeiro juntou-se à lista dos convertidos, assim como a própria esposa do imperador. Estas duas últimas "traições" levaram Diocleciano a mandar degolar o ex-soldado em 23 de abril de 303, em Nicomédia.
Os restos mortais de São Jorge foram transportados para a cidade em que crescera com sua mãe; Lá ele foi sepultado, e mais tarde o imperador cristão Constantino mandou erguer um suntuoso oratório aberto aos fiéis, para que a devoção fosse espalhada por todo Oriente.
Com o passar do tempo, São Jorge conquistou fiéis também pelo Ocidente.
Durante a I Grande Guerra, muitas medalhas de São Jorge foram cunhadas e oferecidas aos enfermeiros militares e às irmãs de caridade que se sacrificaram ao tomar conta dos feridos de guerra.
Conta-se ainda que o bravo militar matou um dragão para salvar a filha do rei de Selena e todos os habitantes desta cidade Líbia...
A ligação de São Jorge com a lua é algo puramente brasileiro, com forte influência da cultura africana.  Na religião da umbanda, o santo é chamado de Ogum.
A tradição diz que as manchas apresentadas pela lua representam o milagroso santo, seu cavalo e sua espada pronto para defender aqueles que buscam sua ajuda.

Lenda ou realidade, São Jorge é para mim a lembrança constante de que somos sim, guerreiros nas batalhas da vida, sejam elas nossas imperfeições ou problemas que nos afetam dia-a-dia. 
E, como ele, devemos permanecer combatentes, fortes e corajosos, sempre crendo na força do Bem, independente dos desafios que a vida nos traga. 
Assim, como Jorge, fortes na Fé, havemos de vencer.

Salve São Jorge Guerreiro! 

Trilha Sonora: Zeca pagodinho - Prá São Jorge


terça-feira, 8 de março de 2011

8 de março...



"Coitados de vocês homens que jamais saberão como é gostosa a sensação de sempre ter a preferência. Vocês que nunca poderão pôr a culpa na cólica ou na TPM; que jamais verão graça em perder um dia todo no shopping, só vendo as vitrines...
Homens, que não sabem como é revigorante falar sobre todo e qualquer assunto com suas amigas; que não têm ideia de como é traumatizante quebrar uma unha; não entendem, de verdade, como é triste acordar com o cabelo oleoso.
Vocês, homens, tão ingênuos, nunca enfrentarão a indecisão na hora de escolher um esmalte. Não irão, nem ao menos, poder seduzir alguém fazendo somente um biquinho de birra.
Homens, que acreditam ser superiores, nem sabem como é gostoso e, ao mesmo tempo, cruel estar sobre um salto agulha.
Ficarão a vida toda sem saber como é bom ser abraçada por um homem alto e largo, com braços grandes e fortes. ..
Homens, meninos, caras, garotos. Nunca, nunca entenderão quão importante é passar lápis nos olhos antes de sair de casa; quão triste o final de “O Diabo Veste Prada” realmente é; quão sexy um cara inteligente pode ser.
Jamais terão ideia de como é legal não precisar atravessar a rua na faixa, já que alguns caras doentes param pra que você possa passar.
Vocês, inocentes, que não imaginam quantas coisas descobrimos durante nossas conversas rotineiras de banheiro; que não sabem como é gostoso morrer de chorar com um pote de sorvete no colo.
Homens que jamais poderão reclamar de um corte na perna feito pela gillette durante o banho; que jamais perceberão como é difícil entender um cara; que jamais poderão gritar ao ver uma barata ou qualquer outro inseto; que jamais, jamais mesmo, poderão ficar em casa só de baby look e calcinha.
Vocês, machistas, que nunca sentirão a tão comentada, e totalmente feminina, dor da rejeição; que jamais saberão como é triste viver sendo paranóica, ciumenta e temerosa de ser substituída.
Jamais saberão como é gostosa a sensação que te obriga a morder os lábios ao ver o peito nú de um cara gato; jamais entenderão o prazer existente que há em ler um romance.
Homens, pobres homens, que não sabem, nem nunca saberão, como é gostoso chorar quando há um cara realmente preocupado contigo te abraçando; como é revigorante usar um vestidinho leve quando o calor está infernal; como é comum e extremamente natural o ato de chorar até dormir, molhando todo o travesseiro.
Vocês, garotos, que nunca terão ideia de como nossos assuntos são interessantes e, mais do que isso: masculinos. Nunca poderão ficar o dia todo com as pernas cruzadas.
Nunca poderão cantar loucamente, mesmo estando sozinhos, refrões como “HOW DO I GET YOU ALONE?!” e, portanto, nunca entenderão como é gostosa a sensação de gritar enquanto se canta.
Nunca poderão fazer vozes estranhas enquanto brincam um bebê ou um animal.
Nunca, nunquinha, vão poder passar um batom básico porque acordaram com a boca sem cor, e, devido a isso, jamais saberão como é revigorante acordar dispondo de uma rica quantidade de batons - úteis ou não.
Homens, simplesmente homens,  que jamais entenderão como é frustrante usar uma calça com a calcinha marcada; que jamais poderão sequer abrir a boca para reclamar sobre dores abdominais, já que nenhum homem fala isso; que jamais poderão xingar outros homens que arrotam no meio das refeições; que jamais saberão como é gostosa a sensação de saber que o cara tá afim de ti e ficar somente provocando.
Homens que nunca poderão reclamar de uma garota-sem-atitude; que nunca poderão fazer ballet sem serem julgados; que nunca entenderão nosso mundo;
Garotos, coitados de vocês, que não podem bater na bunda de ninguém; que não podem falar sobre certos assuntos com seus amigos; que não entendem a graça fantástica por trás de Romeu e Julieta e acham que é somente mais uma mera história romântica barata.
Pobres são vocês, homens, sempre tão garotos, que são completamente abatidos por uma gripe básica e dizem ser fortes.
Meninos, coitados, que têm que lidar com todos os pensamentos de garotas ao longo de suas vidas sem jamais conseguir entender um deles sequer...Vocês entenderiam se não fossem meros meninos... "


Procura-se a autora... (mesmo)

Que vivan las mujeres - Miguel Bose


terça-feira, 1 de março de 2011

Inesperado...

"Corro perigo
Como toda pessoa que vive
E a única coisa que me espera
É exatamente o inesperado"
(C.L)

Ninguém trilha seus caminhos esperando e apostando que  sua vida vai se tornar somente “o.k”...
Todos achamos que seremos grandes, e desde que nos entendemos por gente, de uma forma ou de outra, tomamos isto como meta e nos enchemos de expectativas...
Expectativas que os caminhos irão se iluminar, as portas irão se abrir, as pessoas irão ajudar, os esforços serão recompensados e a diferença será feita. 
Grandes expectativas de quem seremos e aonde chegaremos...
E então, chegamos em "algum" lá ... Acompanhados pelas constantes retrospectivas questionando-nos se a vida que temos é aquela que esperávamos...


Todos nós achamos que seremos grandes, e nos sentimos um pouco roubados quando nossas expectativas não são alcançadas. 
Mas, às vezes, nossas expectativas nos mostram como subestimamos a vida, como nos subestimamos...
Às vezes, o esperado simplesmente perde importância comparado ao inesperado... E você passa a se perguntar porque se apegou tanto à suas expectativas ... 
Porque o esperado é o que nos mantém estáveis, equilibrados, tranquilos... Mas, o esperado é somente o começo ... o inesperado é o que muda nossas vidas.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Perdoar e esquecer...



"Na vida só há uma coisa certa, além dos impostos e da morte:
Não importa o quanto você tente, não importa o quão boas sejam as suas intenções, você cometerá erros...
Você irá machucar pessoas e pessoas irão machucar você...
E se algum dia você quiser realmente se recuperar e seguir em frente, há apenas uma coisa a ser dita: "Eu perdôo."
Perdoar e esquecer... É isso que dizem por aí. 
É um bom conselho, é verdade, mas cá entre nós, não facilmente colocado em prática...
Quando uma pessoa nos machuca, queremos machucá-la de volta. 
Quando alguém erra conosco, queremos estar certos, e mais do que isso, queremos mostrar que estamos certos.
Quando erramos, não perdoamos a nós mesmos, o que é ainda mais doloroso...
O sentimento de injustiça nos coloca em posição de contra ataque.
Mas, sem perdão, antigos placares nunca zeram, velhas feridas nunca fecham...
E o máximo que podemos fazer é esperar que um dia tenhamos a sorte de esquecer..."

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Happy Valentine's Day!!!

"Love is a temple, 
love a higher law..."
(U2)

Diferente do Dia dos Namorados, o Valentine's Day - comemorado principalmente no Hemisfério Norte - é o dia da celebração do Sentimento Amor, em todas as suas vertentes...
É uma  homenagem à São Valentim; Um padre Romano que lutou contra as ordens do então  imperador, Claudius II, que havia proibido o casamento durante as guerras acreditando que os solteiros eram melhores combatentes.
(Eu sinceramente até concordo com ele... coração apaixonado é bobo... alvo fácil, préviamente flechado...) 
Mas, voltando ao padre Valentim... Além de continuar celebrando casamentos, ele se casou secretamente, apesar da proibição do imperador. 
A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte.
Enquanto estava preso, muitos jovens davam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor.
Enquanto aguardava na prisão o cumprimento da sua sentença, ele se apaixonou pela filha cega de um carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão.
Antes de partir, Valentim escreveu uma mensagem de adeus para ela, na qual assinava como “Seu Namorado” ou “De seu Valentim”.
Considerado mártir pela Igreja Católica, a data de sua morte - 14 de fevereiro - é tida então como dia de São Valentim.
O dia é hoje muito associado com a troca de recados de amor em forma de objetos simbólicos, cartões e presentes.
O legal, é que diferente do Dia dos Namorados, comemorado no Brasil em 12 junho, no Dia de São Valentim as pessoas (principalemente as crianças) expressam este sentimento aos pais, amigos, irmãos, professores, enfim, à todos que amam.
O dia de São Valentim era até há algumas décadas uma festa comemorada principalmente em países anglo-saxões, mas ao longo do século XX o hábito estendeu-se a muitos outros países.
Bonitinho, né?!
Então, ao invés de discorrer, surtar ou questionar o amor, que tal simplesmente homenageá-lo, no dia do mais lindo dos sentimentos existentes???
Eis a música que compila minhas favoritas odes ao amor: Carta de Paulo aos Coríntios 13 e  Luis Vaz de Camões... Na voz do inesquecível Renato Russo...
Afinal, mesmo com todas as suas dores...  não há quem não tenha sido feito para amar...



* Trilha sonora: 
Monte Castelo ...



quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Ahhh, quer saber???!!!!!



Como quem cala consente,  resolvi soltar o verbo e dar o meu recado.
O negócio é o seguinte:
Galerinha do oba-oba, ego superinflado, individualismo giga, egoísmo master, superficialidade blaster, volubilidade louca e volatilidade à flor da pele,  povo do "juroquetôarrasando", do "dabocapráfora" e do "nãoseioquequero"  ... trupe da educação mínima, noção nula e respeito zero:
ANDO BEM DE SACO CHEIO DE VOCÊS!!!!!!!!
Ahhh, quer saber?
Chega uma hora que a gente cansa de certas gracinhas ...  
Então, de boa, 1,2,3 e cada um com sua turminha... 
Fico até lisonjeada pela preferência... Agradeço... MAS PASSO!!!!!!
Por mais que certas coisas já não me surpreendam,  não chego ao ponto de acostumar-me com elas... 
Pouco me importa a era tecnológica virtual/global/o escambau em que vivemos...
Às favas com a rapidez, dinamismo e liquidez  das relações humanas atuais...
Para mim, gente é gente, não é item: colecionável, armazenável ou descartável.
Não faço menor questão de ser parte deste rodízio humano, ou seja lá o nome que isto receba...
Ô minha gente, "Vamos se respeitar"!!!!

Conseguiu perceber o teor destas coisas que me irritam????
Não???? Rum,  Mais uma prova certificando minha teoria de que não somos todos feitos da mesma essência, nem temos os mesmos níveis de percepções...
Percebeu mas não concorda??? Direito seu. Haja conforme seu grau de evolução...
Concorda comigo???? Perfeito. Tenho uma ótima notícia para você... Não somos os únicos...

Gosto de gente que chega para somar, que dá a cara à tapa e paga para ver, que aposta, que permite (e se permite) ... Gente que percebe que por trás de cada um existe uma história única,  singularidades, diferenças e afinidades, enfim...  uma outra pessoa, outro universo e um milhão de novas possibilidades...
Para os que não pensam como eu, reitero:
Nada pessoal gente...  só que aqui a banda toca diferente, outro rítmo, outro timbre, sabe?!
Aos que compartilham deste compasso, sejam super bem vindos...
Aos que andam fora dele... 
Sejam Felizes, ao lado dos SEUS semelhantes!!!!


E  como quem canta, seus "males espanta" , para quem também anda de saco cheio ....
Bora cantar comigo, abstrai a letra dramática, e foca no refrão:

La laiá laiá laiá laiáaaaaaaaa...


terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Não são as Circunstâncias que Decidem a Nossa Vida

 "No que diz respeito às escolhas, elas serão sempre suas... 
Assim como as consequências..." 

Quem ainda não aprendeu?
"Cada escolha, uma renúncia" ou "Não se pode ter tudo na vida"...
E que, muito embora concordemos que ninguém é "vítma das circunstâncias", não podemos julgar as escolhas alheias...
Ok... Façamos então um trato... Você fez suas escolhas...tentarei  não julgá-las... esta é minha parte... E quanto à sua??? Bem... você pode começar assumindo-as... e sendo, no mínimo, fiel à elas... Justo, não!?


Ortega y Gasset, in 'A Rebelião das Massas'
 
"A nossa vida, como repertório de possibilidades, é magnífica, exuberante, superior a todas as históricamente conhecidas. Mas assim como o seu formato  maior, transbordou todos os caminhos, princípios, normas e ideais legados pela tradição. É mais vida que todas as vidas, e por isso mesmo mais problemática. Não pode orientar-se no pretérito. Tem de inventar o seu próprio destino.

Mas agora é preciso completar o diagnóstico. A vida, que é, antes de tudo, o que podemos ser, vida possível, é também, e por isso mesmo, decidir entre as possibilidades o que em efeito vamos ser. Circunstâncias e decisão são os dois elementos radicais de que se compõe a vida. A circunstância – as possibilidades – é o que da nossa vida nos é dado e imposto. Isso constitui o que chamamos o mundo. A vida não elege o seu mundo, mas viver é encontrar-se, imediatamente, em um mundo determinado e insubstituível: neste de agora. O nosso mundo é a dimensão de fatalidade que integra a nossa vida.
Mas esta fatalidade vital não se parece à mecânica. Não somos arremessados para a existência como a bala de um fuzil, cuja trajetória está absolutamente pré-determinada. A fatalidade em que caímos ao cair neste mundo – o mundo é sempre este, este de agora – consiste em todo o contrário. Em vez de impor-nos uma trajetória, impõe-nos várias e, consequentemente, força-nos... a eleger. Surpreendente condição a da nossa vida!  
Viver é sentir-se fatalmente forçado a exercitar a liberdade, a decidir o que vamos ser neste mundo.  Nem em um só instante se deixa descansar a nossa atividade de decisão. Inclusive quando desesperados nos abandonamos ao que queira vir, decidimos não decidir.
É, pois, falso dizer que na vida «decidem as circunstâncias». 
Pelo contrário: as circunstâncias são o dilema, sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso caráter."

sábado, 22 de janeiro de 2011

He's just not that into you!!!!


Are you the exception or the rule?



Depois do almoço do D.W.F, onde para variar, em meio a muitas risadas, a classe masculina destroçou na prática da Verdade Nua e Crua, com a qual eu concordo plenamente... (é por isso que adoro ter amigos homens!!!!) lembrei de um texto mais antigo e engavetado, que pensei valer à pena postar, sobre o "filme do século" (tá bom, menos...  mas é que eu adorei tanto, sabe?!!!!)
 "He's just not that into you!" 
Em Português: (bem claro, diga-se de passagem) 
"Ele não está tão afim de você!!!"...


Sinopse maisdoqueenxuta!!!!!

Você realmente gosta deste cara, mas não consegue saber se ele gosta de você. Você inventa desculpas, decide que ele está confuso. Pare de se enganar. Existe uma explicação muito mais simples: ele não está afim de você. Esta é a lição que Gigi vai aprender. Romântica incorrigível, ela sai com Conor, que simplesmente não liga no dia seguinte. Quando ela vai à casa do bonitão, conhece Alex, colega de quarto de Conor e que tem uma visão muito clara sobre o mundo, empenhando-se em mostrar a verdade para Gigi numa viagem ao complicado mundo da mente dos homens.



Rá!!!!!
Quero ver quem vai me chamar de inflexível, inacessível, osso duro, marrenta, turrona, faca na caveira, na bota, ou sei- lá- onde,  agora que Hollywood concorda comigo e o cafa assina embaixo!!!!!
Sempre fui de uma teoria muito prática, e sem muita paciência, no que diz  respeito à dinâmica destas histórinhas e joguinhos chatos e previsíveis que norteiam o "Fantástico Universo das ficadas, rolos, relacionamentos e afins",  e no quesito Atitude masculina, (sim!!!! Porque volto a repetir: "Afinal, rapazes, vocês são Homens ou um bando de donzelas na torre????" ) acho que algumas velhas máximas ainda se aplicam:

1. "Quem não chega chegando não merece respeito"
2.  "Quem sabe faz a hora não espera acontecer"
3.  "O interessado dá um jeito"
4.  "Quer quer, não quer, não quer"

Porém,  sempre fui questionada pelos otimistas (?) de plantão, que carinhosamente me presentearam com os adjetivos supra citados, seguidos das velhas explicações de que nem todo mundo pensa como eu, de que eu não poderia pensar sempre o "pior", e outros blá blá blás dignos de Poliana Moça... 
Ahãm... sei, sei...

"Pessoa certa no momento errado????" 
(Affffffff!!!!!)
"Você merece alguém melhor"????
(Com esse papinho? Com certeza!!!)
"Não sei se estou pronto para dar este passo"?????? 
(Puuuutz)
"É que meu tipo de vida não me permite ter alguém"??????
(Aiii, morde aqui...)
"Não me sinto preparado para assumir um relacionamento" ???
(Leia-se, com você)
"Sumi porque não sabia mais como controlar a situação" ????
(Socorro!!!Alguém chama as autoridades!!!)

Então, ainda sobre o filme... 
Da série  "Li, gostei, e dou de graça à vocês!"  

 (Texto adaptado, de Maria Amália Cursino)  

"Liberte-se de suas teorias equivocadas e suposições infundadas a respeito do que se passa na cabeça dos homens!!!
Se ele não ligar, SIGA EM FRENTE! 

Se ele não aparecer mais, PISTA!
SEGUE O BAILE MENINA!!!!!

Fique tranqüila:O seu perfume estava adequado, sua roupa impecável, seu papo interessante, sua pegada tem todo seu valor, e você, definitivamente, não é de se jogar fora.
A resposta é uma só:

"He's just not that into you!"
(E aí, minha cara, o azar é dele, não seu...)

E, sendo assim, nada de baixo astral, nada de frustrações, nem de desejar a morte do moçoilo...
Simplesmente diga:

"Meu queridinho, tenha uma boa vida, porque eu tenho mais o que fazer!" hehehe
Existe pensamento mais libertador que esse?

PARE DE SER MULHERZINHA E CURTA O QUE FOR PARA CURTIR...

Até porque,só a (falta de) atitude de um "sumiço", mostra bem o grau de educação e maturidade do cidadão...
... E ele pode até SER ou AGIR como CRIANÇA... Mas lembre-se... 
Isso É ELE... NÃO VOCÊ!!!
FREE YOUR MINDS AND SOULS, MY FRIENDS!!!    
SEM MEDO...  JUST LET IT BE!!!"

"O grande lance é relaxar, pessoas! 
Tá tudo acontecendo e eu quero é mais!!!






domingo, 16 de janeiro de 2011

Sempre ela...



Porque quando eu digo que Clarice me entenderia não estou de brincadeira...
Porque perguntam, (e a gente se pergunta) por que, diabos, se escreve...
Porque cada trecho dela parece um pedaço tirado de mim...
Porque sempre existe uma palavra...
Porque deve haver o livro...
Porque ela é o cume...

Fragmentos....

"Quando eu me comunico com criança é fácil porque sou muito maternal. Quando me comunico com adulto, na verdade estou me comunicando com o mais secreto de mim mesma, daí é difícil... O adulto é triste e solitário. A criança tem a fantasia muito solta."

"É quase impossível evitar o excesso de amor que um bobo provoca. É que só o bobo é capaz de excesso de amor. E só o amor faz o bobo."

"A vida é igual em toda a parte e o que é necessário é a gente ser a gente."

"A harmonia secreta da desarmonia: quero não o que está feito mas o que tortuosamente ainda se faz. Minhas desequilibradas palavras são o luxo de meu silêncio. Escrevo por acrobáticas aéreas piruetas - escrevo por profundamente querer falar. Embora escrever só esteja me dando a grande medida do silêncio."

 "Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere qualquer coisa. Não altera em nada... Porque no fundo a gente não está querendo alterar as coisas. A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro..."

"... Sei lá porque escrevo! Que fatalidade é esta?"

"Eu só escrevo quando eu quero, eu sou uma amadora e faço questão de continuar a ser amadora. Profissional é aquele que tem uma obrigação consigo mesmo de escrever, ou então em relação ao outro. Agora, eu faço questão de não ser profissional, para manter minha liberdade".

"Em uma outra vida que tive, aos 15 anos, entrei numa livraria, que me pareceu o mundo que gostaria de morar. De repente, um dos livros que abri continha frases tão diferentes que fiquei lendo, presa, ali mesmo. Emocionada, eu pensava: mas esse livro sou eu! Só depois vim a saber que a autora era considerada um dos melhores escritores de sua época: Katherine Mansfield."

"Escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o irreproduzível, é sentir até o último fim o sentimento que permaneceria apenas vago e sufocador. Escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada"

"Escrevo porque encontro nisso um prazer que não consigo traduzir. Não sou pretensiosa. Escrevo para mim, para que eu sinta a minha alma falando e cantando, às vezes chorando..."

"Estou à procura de um livro para ler. É um livro todo especial. Eu o imagino como a um rosto sem traços. Não lhe sei o nome nem o autor. Quem sabe, às vezes penso que estou à procura de um livro que eu mesma escreveria. Não sei. Mas faço tantas fantasias a respeito desse livro desconhecido e já tão profundamente amado. Uma das fantasias é assim. Eu o estaria lendo e de súbito, uma frase lida, com lágrimas nos olhos diria em êxtase de dor e de enfim libertação: Mas é que eu não sabia que se pode tudo, meu Deus!" 

"...há impossibilidade de ser além do que se é - no entanto eu me ultrapasso mesmo sem o delírio, sou mais do que eu, quase normalmente - tenho um corpo e tudo que eu fizer é continuação de meu começo...... a única verdade é que vivo. Sinceramente, eu vivo. Quem sou? Bem, isso já é demais...."

"Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém que o que mais queremos é tirar essa pessoa de nossos sonhos e abraçá-la."

"Mas há a vida que é para ser intensamente vivida, há o amor.Que tem que ser vivido até a última gota.Sem nenhum medo. Não mata."

"Minha liberdade é escrever. A palavra é o meu domínio sobre o mundo."

 "Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo."

"Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é possível fazer sentido. Eu não: quero é uma verdade inventada."

"Vocação é diferente de talento. Pode-se ter vocação e não ter talento, isto é, pode-se ser chamado e não saber como ir". 

"Nem todos chegam a fracassar porque é tão trabalhoso, é preciso antes subir penosamente até enfim atingir a altura de poder cair."


"Sempre conservei uma aspa à esquerda e outra à direita de mim.”  


A paixão segundo G.H. -  Clarice Lispector