quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Let's Rock!!!



Shake Baby!!!


Após uma era meio reclusa, devo dizer que minha vida noturna anda um agito só... embora eu não seja o que se possa definir como pro night, (seletiva?) algumas situações se enfileiraram, e tive uma maratona going out, de onde, depois certas observações tirei algumas conclusões...
Sou (ou, ao menos me considerava) uma pessoa bem eclética no que diz respeito ao meu gosto musical, e tenho uma facilidade imensa em me divertir em qualquer biboca,  de me acabar dançando em (quase) todas ocasiões... mas gente... tem limite!!!
Eu sei, eu sei... "gosto é gosto, não se discute",  "o que seria do amarelo se todos gostassem do azul?"  blá, blá, blá ... mas...  Ai, sabe?!!!
De antemão, vou deixando claro que em TODAS estas minhas incursões a companhia foi maravilhosa ; )  "Diversão garantida ou seu $ de volta" (o que faz de qualquer programa de índio algo memorável...)
Só isso já valeu a pena, mas sou obrigada a tecer meus comentários sobre o que anda rolando por aí:

- BALADA SERTANEJA (B.S):
Não é de hoje que defendo minha teoria, quanto a falta que faz um manual da Balada Sertaneja, que aliás, agora é Sertanejo Universitário. (ótimo, sempre que escuto isso, imagino aquelas duplas, de calça esguelando, cinto de fivelão, mas agora com um diploma na mão...)
Fico realmente perdida... 
O que, teoricamente, se faz nesta balada, eu sei: Se canta (hum... preciso aprender então) e se dança... 
Se dança???? Como????
A lembrança que tenho dos arrasta pés do interior é de pessoas dançando em pares, rodopiando pela pista, mas isso é humanamente impossível nas atuais "B.S"... Por ser modinha, são os ambientes mais insuportavelmente lotados que existem... mal dá para se mexer sozinho, vai dançar como???
Impraticável...
Daí fica aquela coisa estranha, mulheres fazendo dancinhas coreografadas de um lado, enquanto os marrentos de camiseta justa (sim, eles estão lá... é modinha, lembra??) ficam cantando de outro... 
- De qualquer forma, não deixa de ser divertido ...  dá para rir horrores!!!

- ELETRÔNICO:
De-fi-ni-ti-va-men-te, não me enxergo nessas raves, pvts, de pirulito na boca, garrafinha de água na mão, com os bracinhos prá cima (estilo malabares) daquele jeito meio autista performático, olhos fechados, curtindo o que se chama de  um eletro/psy/trance/progressive/house/techno (leia-se, paramimtudoamesmacoisa) "naquela vibe", que literalmente vibra repetida e azucrianadamente até praticamente desintegrar qualquer sistema vestibular existente no ser humano. 
Tudo isso baseado na filosofia "acid house", fritando (ou não) e dizendo que é peace... (como assim????) perdi algo pelo caminho, de certeza...
Velha história, cada qual, cada um... mas adoro música com letra, um refrãozinho, e neste estilo (?) musical  quando isso acontece, e a gente se enche de esperança, é só mais um  maldito remix, que engana os desesperados desavisados com 3 palavrinhas de alguma música famosa,  seguidos por mais meia hora de  puntz puntz puntzpu-pu-putz putz putz,  wéun wéun WÉÉÉÉÉÉUN. Tuntz tuntz tuntz, tun tun tun tuntz tuntz, tun tun tun tuntz tuntz, tuntz tuntz.. Ts ts ts tstuntz tuntz, ts ts, tuntz, tuntz. Tum tum tum pac pac pac pac pac pac pac pac pac tum tum tuntz, tuntz.... só restando à massa os gritinhos de uhuuuul, quando o DJ baixa o som...
- Opa! Valeu o convite amigão, mas passo... fica prá próxima ... mesmo!!!

- FUNK:
Rá! O funk!!!Esse é complicado...
Por que, por mais que você nem vá pra night funkeira, nem seja da "comunidade", o funk dá um jeito de vir até você...
Qualquer casamento, formatura, aniversário, chopada, feijoada do fulano, peixada do beltrano... é batata!!! Sempre chega a bendita hora do funk...
Em geral começam com os "funks do bem", MC sapão (bonitinhos até, vai?!), evoluíndo até chegar naqueles mais  infames e bagaceiros ...
Aí já sou taxativa, nem sob tortura, ameaça à mim ou aos meus entes queridos, nem em pré coma alcólico - não interessa a situação -  se alguém me flagrar dançando "Créu", (independente da velocidade, ok?) pode me interditar, na mesma hora. 
É violação do meu código de conduta ética pessoal moral aceitável... 
Interdita mesmo!!!!! Porque  mesmo sobrevivendo, não sei se conseguiria conviver com a ressaca moral, ou com alguma foto (sempre tem um F.D.P com a máquina na mão!!!)  registrando a pessoa "daquele jeito" ou  "até o chão"... Aff!!!
- Out!!!

- REGGAE:
Aos que me conhecem, este tópico se faz desnecessário... mas como aqui se trata de uma mídia pública...
Deixando de lado meus pré conceitos (e conceitos) e  não levando para o lado pessoal, minhas lembranças dos bares "astral"  da minha adolescência, tipo Boulevard da Lagoa, ao som do "Daza" e seu Salão de festa a vapor... ou das minhas antigas baladas  "à beira mar"  estilo nights do Rosa, Barulho do Mar na Mole, sempre são, no mínimo, surreais... (festa estranha com gente esquisita, diria Renato Russo) a quem chame também de Roots esta "total positividade"...  já fui "total morra" o téin téin téin do Reggae e "incensos" (eufemismo para esquadrilha da fumaça) ...  Continua não sendo muito a minha praia, mas já sou bem mais amena, e  tem alguns reggaes e barzinhos do estilo que curto ... (seria isso a maturidade??)

- SOUL MUSIC:
Ótima pedida, afinal, adoro um groove.
Neste caso, em especial, a culpa não é do estilo não, nem da banda, que mandou muito bem ... 
Só que a coisa ficou tensa quando o vocalista tipo lisérgico anos 70 (todo trabalhado na cabelera "estileira black power") anunciou que a banda manda um "Som eletrônico feito por Humanos"  (pensa em 6 pessoas tentando achar o sentido da frase...)


Tudo bem, tudo bem,  mil desculpas se você é apreciador de alguma das pérolas acima, você pode também questionar e criticar meus gostos, e muito gentilmente (ou não!!!) me dizer que samba é um lixo, blues é depressivo, MPB é para os fracos, samba rock é isso e pop rock é aquilo, pode também defender suas opções, não vou concordar, mas vou aceitar.. (*momento veneno*) e lamentar... (my bad!)
Mas nunca, em hipótese alguma, alguém vai poder falar do universal, bom e velho "Rock and Roll"  e todas (ou alguma das) suas vertentes, (garage, folk, psicodélico,progressivo, glam, hard rock, heavy metal, punk rock, pós punk, new wave, alternativo...)
Fala a verdade, ao menos uma destas opções,  já fez você levantar da cadeira, dar uma ajeitada no visual e pensar: 
- Let's shake!!!!
(Não nega, que eu sei!!) 
É incrível como, para curtir o som destes Jurássicos, (sejam eles ingleses, americanos, australianos, irlandeses (!!!) ou  brasileiros)  não existe  limite de idade, independe de modismos, pelo contrário, atravessam décadas, mantendo seus seguidores e conquistando novas gerações, por todos os cantos do mundo...
É muito bom viajar nas letras, entendê-las, traduzí-las, senti-las, tanto quanto as batidas, os solos...
(Então, voltando à minha peregrinação:)

Mas Ahhhh!! que nem só de roubada é feita a vida, e depois desta jornada, como o bom filho à casa torna, pude entrar no meu pub favorito, e  fechar minha maratona, escutando aqueles clássicos 60's, 70's, 80's, 90's ... 
- God bless rock n roll!!!
Delícia a sensação de estar em casa... Levantei da cadeira, dei uma ajeitada no visual... hehe

agora era só curtir...
E sabe o que o Rock fez comigo?
... shook me all night long ...

Yeah...